A guerra dos posseiros no sudoeste do Paraná

A guerra dos posseiros no sudoeste do Paraná

Sinopse

 

Não, a história dos trabalhadores e camponeses brasileiros não é de mansidão e cordura. É de luta. E luta renhida. Em cada canto desse país, desde a invasão portuguesa há gente que resiste e batalha por direitos e vida boa. Pouco a pouco assoma a verdade e das entranhas da vida das gentes vão despertando as histórias de luta e conquista.

Essa é a dos posseiros de Francisco Beltrão, sudoeste do Paraná. Famílias que se viram ameaçadas por empresas de rapinagem de terra. Ladrões oficiais. O ano foi 1957. Contra as empresas que queriam lhes tirar a terra, contra governo, jagunços e polícia os camponeses iniciaram uma revolta. Milhares de pessoas marcharam até a cidade e tomaram a prefeitura. Armados, exigiram a regularização das terras e a expulsão das empresas. Entraram na sede da companhia e rasgaram os documentos que lhes tirava a posse da terra, expulsando-as da cidade. 

A batalha em Beltrão animou as famílias de outras cidades, reunindo mais de seis mil pessoas ao todo. Foi uma luta linda, vencedora, que hoje é relembrada nas escolas do campo, num trabalho de memória realizado pela Assesoar.