Entre a IV República é o Estado Comunal: dilemas da Revolução Bolivariana

Autores: 
Fabio Santos

Resumo

Com o objetivo de refletir criticamente sobre os dilemas enfrentados pela autodenominada “Revolução Bolivariana”, este texto discute os limites do processo à luz dos dilemas estruturais evidenciados pela crise econômica atual (2014), que problematiza a eficácia de uma estratégia revolucionária focada na dimensão política da mudança social e que tem na proposta do Estado Comunal sua proposição mais ousada. Sugerimos que, até o momento, o processo bolivariano liquidou os fundamentos políticos associados ao pacto de Punto Fijo, mas foi impotente para superar os constrangimentos econômicos, sociais e culturais característicos do “subdesenvolvimento com abundância de divisas”. Em um momento em que as conquistas acumuladas em catorze anos se apequenam face à expectativa de avanços ulteriores, enfrentando problemas econômicos característicos do “subdesenvolvimento com abundância de divisas” e sem a presença de seu líder indisputado, os constrangimentos estruturais pressionam o tempo da conjuntura, ameaçando a consumação da revolução venezuelana.