Oeste de SC encerra Curso de Realidade Brasileira

28 de Novembro de 2017, por Ernesto Puhl


Em clima de festa, luta e conquista, os militantes dos Movimentos Sociais, Sindical e Pastorais Sociais realizaram a formatura da IV Turma do Curso “Realidade Brasileira”.

No dia 25 de Novembro de 2017, no salão comunitário do bairro Maria Goretti, Município de Chapecó/SC, aconteceu o ato de encerramento do Curso de Pós- Graduação Lato Sensu e de Extensão da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Educação do Campo com ênfase em Estudos da Realidade Brasileira. A quarta turma do curso teve início no dia 13 de Novembro de 2015, na sede da UFFS/ Campus Chapecó (SC). O curso foi realizado em parceira com a Universidade Federal da Fronteira Sul-UFFS e o Fundo Nacional de Solidariedade - Caritas, uma entidade da igreja católica. Esta turma do Curso Realidade Brasileira é a primeira no Brasil, com o foco em especialização para os educandos graduados, e em extensão para os não-graduados. 

O Curso Realidade Brasileira tem como objetivos: a construção de alianças no campo e na cidade, a formação de quadros para estudar e interpretar a realidade brasileira e a participação em organizações sociais para buscar, na luta de classe, a construção de um projeto democrático popular para o Brasil.

A programação do curso teve como essência e fundamento o estudo da realidade brasileira e focou nos principais temas: 

1º Módulo - A Formação do Estado Brasileiro: O processo histórico de Constituição do Estado Nacional Brasileiro. O conceito de Estado. Introdução à formação das classes sociais no Brasil e das elites políticas e econômicas; 

2º Módulo - Brasil: Economia e Política. Conceitos de Economia Política. A história da Economia do Brasil; 

3º Módulo - A Formação do Povo Brasileiro e suas Expressões Culturais. Os Povos Originários da América Latina e Brasil. A Presença dos Africanos no Brasil. Os Processos Migratórios e seus Desdobramentos Culturais. Conflitos Territoriais (indígenas, étnico-raciais, entre outros). A Diversidade Religiosa e suas Implicações na Constituição do Povo Brasileiro. O Papel da Cultura e da Arte na Formação do Povo Brasileiro. A Cultura e suas Interfaces com a Economia e a Política;

4º Módulo - Brasil: Terra, Água, Minérios e Florestas. A Dimensão Socioambiental do Brasil – a Diversidade Natural e seu Potencial Econômico. Ambiente, Geopolítica e Conflitos Territoriais (luta pela terra e pelo território). Questão Agrária, Energética e Movimentos Sociais Populares. As Questões de Gênero e os Conflitos Socioambientais; 

5º Módulo - O Espaço Urbano Brasileiro: Expressões e Contradições. O Nascimento do Espaço Urbano. A Interface Campo-Cidade. A divisão Centro-periferia. A emergência das Cidades Globais e seus Papéis no Atual Período Histórico do Capitalismo. Movimentos Sociais e Organizações Sindicais do/no Espaço Urbano. O Processo de Urbanização Global e suas Implicações Políticas, Econômicas e Ambientais; 

6º Módulo - Ideologia e a Formação da Consciência do Povo Brasileiro. Ideologia e a Constituição do Poder Ideológico. A Formação da Consciência. A Mídia. A Educação. As Questões de Gênero. A Religião;

7º Módulo - A História da Esquerda Brasileira e Desafios Contemporâneos. A História das Ideias Socialistas no Brasil. A formação dos Sindicados, dos Movimentos Sociais no Brasil. Os Partidos Políticos. O Estado e os Projetos Políticos; 

8º Módulo - Educação Popular e a Educação do Campo no Brasil. Perspectivas: Educação Popular e Educação do Campo e a Educação Popular e Processos Formativos dos/nos Movimentos Sociais/populares e Sindicais; e  

9º Módulo - Seminário de Projetos, esta disciplina dedicada aos debates a respeito das propostas de pesquisa, temáticas e seus aspectos teórico-metodológicos, onde cada educando(a) escolheu um tema de estudo, onde fizeram o exercício de estudar, escrever e apresentar o Trabalho de Conclusão do Curso. O resultado desses  trabalhos vai ser publicado um livro no ano de 2018. 


A programação do ato da formatura teve início com a mística de abertura, que resgatou a importância de como a classe trabalhadora se apropria do conhecimento como uma ferramenta de luta.

Após o momento da mística e com a presença de mais de 120 convidados, foi declamada a poesia “É tempo de colher”, do poeta Ademar Bogo, que diz o seguinte: “E erguer-se de todos os lugares, para dizer que é hora de colher tudo o que se plantou”. Na sequência, foi proferida a composição da mesa de autoridades e lideranças políticas, entre elas presença do coordenador do Curso, o Prof. Dr. Willian Simões, o Reitor, Jaime Giolo e a diretora do Campus Chapecó, Lisia Michels, todos da Universidade Federal da Fronteira Sul; juntamente com Irma Brunetto – da Direção Estadual do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Sem Terra; Sirlei Gasparetto, da Direção Estadual do Movimento das Mulheres Camponesas; Pedro Melchior, da Direção Estadual do Movimento dos Atingidos Por Barragem; Alexandre Bergamin, da FETRAF Santa Catarina; Lizeu Mazioni – da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras no Serviço Público Municipal; Jaime Bianchi, das Pastorais Sociais de Santa Catarina; Deise Paludo, representando o Professor e Deputado Federal Pedro Uczai; o Deputado Estadual, Dirceu Dresch; Rozangela Dalbosco, representando a Coordenação Politica Pedagógica do Curso; e Tiago Arcego da Silva, representando a turma Dom José Gomes.

Após o pronunciamento das lideranças da mesa, foram entregues os certificados aos formados do Curso da Realidade Brasileira, que foram anunciados pela coordenação do ato, chamando os educandos por movimentos, sindicato e pastorais. 

A formatura foi um momento de confraternização, com muita mística, animação das músicas de luta, como Nego Nagô e América Latina, e com muita alegria e esperança que se expressava na face de cada companheiro e companheira que vêm assumindo o compromisso de lutar e enfrentar os desafios da conjuntura atual brasileira. 

Momento desafiador e histórico para a classe trabalhadora brasileira. Diante desta realidade, é fundamental nos comprometer com a luta e a construção de bandeiras de luta que unificam a classe trabalhadora em defesa da democracia, da soberania, dos nossos direitos sociais, das reformas estruturantes e da construção de um projeto democrático popular.

O ato da formatura foi finalizado com fotos e gritos de ordem, como “Com Dom José Gomes, na luta por uma Terra Sem Males” e “te cuida, te cuida imperialista, América Latina vai ser toda socialista”. A confraternização da turma e convidados se encerrou com um delicioso churrasco. 

Ao final, ficou o desafio: é preciso dar continuidade ao processo de formação de lideranças e de quadros. Diante disso, ficou acordado um compromisso coletivo dos militantes em assumir a tarefa de ajudar a organizar outras turmas de estudo da realidade brasileira e de continuar a luta pela construção da revolução brasileira.