Integração sul-americana da educação e das políticas científico-tecnológicas: as relações imperialismo e subimperialismo em questão

Autores: 
Zuleide S. Silveira

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apontar, concisamente, as modificações ocorridas no campo educacional, bem como na institucionalização da CT&I, tendo como mediações principais o Mercosul, o Estado, e secundárias o Setor Educacional e a Reunião Especializada de Ciência e Tecnologia do referido bloco. Evidencia que, a lógica tendencial e expansionista do capital requer estabilidade político-institucional, previsibilidade e regulação dos mecanismos de internacionalização da economia/tecnologia, conseguidas por meio da gestão supranacional, implicando na formulação e métodos da ação governamental, em nível nacional. Revela a luta travada pelo capital para vencer suas barreiras, instalando contradições entre: integração produtiva regional (capital), trabalho, educação e CT&I; abertura de mercados e fechamento da economia intrabloco regional; produção do conhecimento e formação para o trabalho; decisões autoritárias e estratégias de obtenção consenso; todas operam por meio de acordos comerciais, de trocas de serviços e de cooperação científico-tecnológica. Busca evidenciar os processos de integração e regionalização das políticas educacionais e de CT&I como manifestação da integração produtiva e da infraestrutura regional sul americana. As considerações finais enfatizam o estudo sobre os propósitos e concretizações do Mercosul, particularmente do SEM e da RECyT, como possível contribuições nas disputas de forças políticas em torno dos rumos da região latino-americana.